Economia

[Economia][bsummary]

Cidades

[Cidades][bigposts]

Educação

[Educação][twocolumns]

Emprego & Concurso

[emprego][bsummary]

DEPENDÊNCIA EMOCIONAL


 

A palavra dependência nos indica uma ideia extrema. Empregamos com constância este termo para explicar o uso químico como álcool, cigarro, remédios, ou dependência química. Já a palavra emocional apesar de nos fazer pensar em inúmeras situações, vem do conceito de afeto e estrutura psíquica.  Quando falamos em dependência emocional estamos conectando estes dois entendimentos. Isso é muito importante para que possamos distinguir a situação de cada pessoa e não sairmos por aí usando opinião ou nomes técnicos para ilustrar.

Partindo de um pensamento psicanalítico de que todo ser, em sua essência depende de um outro. A fase que mais fica clara esta dependência acontece na infância (desde o nascimento). Neste período somos dependentes fisicamente e também emocionalmente. Deste modo podemos considerar que o ser humano é um ser dependente por natureza e mesmo com suas aquisições e necessidades de independência, por se conhecer como singular e por aprender a lidar com seu eu, ele inconscientemente, repete relações com pessoas ou objetos, como  roupas, viagens, trabalho, lazer, internet...) que sugiram entrar em contato com sua dependência de algo ou alguém. E a  dependência emocional, o que ela quer falar então?

É importante observar que esta necessidade irá gerar atitudes extremas e excessivas. Estamos  descrevendo  alguém que possui uma dependência afetiva por alguém ou algo e apresenta características de uma necessidade extrema por este objeto desejado como manancial de seu prazer Além disso, é possível perceber uma dificuldades de raciocínio lógico ou de bom senso, para diferenciar o que tende a ser exagero ou não, alterações emocionais, interferência em seus hábitos e condições de vida, deixando amigos ou familiares de lado, muita aflição e empenho para estar junto, medo ou ansiedade quando longe. A pessoa também sente que não consegue  ser feliz ou estar bem se não for, naquele trabalho, daquela forma, naquela condição, com aquela pessoa, fazendo tal coisa. É muito corriqueiro juntarem a dependência emocional somente às relações amorosas, mas uma dependência emocional não é restrita somente a relação com pessoas. Há quem seja dependente emocionalmente  de uma ideia, de um hábito, trabalho, religião, comida ,e até academia.

Todos temos em nossa história nosso ponto mais frágil que recorre a alguma mania ou apego, para satisfazer a si mesmo e para isso precisamos do outro ou de um lugar. Buscando formas de entrar em contato consigo mesmo e conhecer mais a seu respeito, sua historia, seus sentimentos, encontrando dentro de si valor próprio que merece ser reconhecido e usado como fonte de prazer, assim como também reconhecer suas limitações, pontos frágeis e dificuldades emocionais, para poder pensar a respeito.

A análise parece sim ser um bom lugar para poder cuidar destes aspectos, visto que aqui estamos considerando a ordem emocional. O amadurecimento psíquico ou autoconhecimento depende de alguns fatores e envolve não somente  querer ou não querer, é preciso compreensão de si , do que provoca do outro,  do que se sente e do que posso fazer com isso tudo que ao longo do amadurecimento vamos percebendo. Uma análise ou uma terapia não pode jamais prometer que irá curar ou eliminar tal sintoma, mas pode oferecer algumas possibilidades saudáveis ou que gerem menos prejuízo ajudando assim no  equilíbrio emocional.

Para concluir, relembro que o ser humano é um sujeito único . Então, devemos sempre tomar muito cuidado para não generalizar sintomas e atitudes como um sinal de dependência ou não.

 

 

Até a próxima.

Ana Gonçalo.

Contatos para consultas: (81) 993570145, pelo e-mail  anacgcp@gmail.com

Siga no instagram : @psicanalista_anafreud

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Saúde

[Saúde][twocolumns]

Mundo

[Mundo][bsummary]

TV Escada News