Economia

[Economia][bsummary]

Saúde

[Saúde][twocolumns]

Cidades

[Cidades][bigposts]

Educação

[Educação][twocolumns]

VAMOS FALAR SOBRE CARÊNCIA?

 

Foto: Divulgação

A carência é a abertura afetiva que ninguém pode preencher por você. As pessoas carentes quase nunca têm consciência sobre esse comportamento, tampouco como se tornaram assim. Muitas vezes, reagem compulsória e impulsivamente geradas pela impressão constante de que lhes falta alguma coisa. Provam um nível alto de exigência e expectativa, tanto em relação a si mesmas, como em relação ao outro inconscientemente óbvio.E essas cobranças vem em todas as áreas dos relacionamentos afetivos: casamento, amizades, namoro ,trabalho e família. A carência é a certeza interna de que talvez fiquemos sós e desamparados; ou ainda a descoberta de que o afeto do outro não é recíproco. A questão é que a psique coloque tal coisa como algo que irá durar até o fim da vida. FREUD fala de uma maneira mais formal que o ser humano teve que assumir que jamais terá o controle sobre seu mundo inconsciente. E mesmo com todas as novidades e descobertas na ciência, não temos nenhuma chance de domínio sobre o outro.
Por isso, nos tornamos dependentes de qualquer tipo de relacionamento, seja positivo ou negativo, recebendo pequenas porções, aceitando as migalhas que o outro pode ou quer oferecer. A dependência é sinônimo de carência.
A carência ‘verdadeira” é aquilo que nos falta, , não está associada a ansiedade, mais a tristeza, que é um sentimento mais do que normal diante de um algum esforço particular que não causou o resultado aguardado até o presente momento de nossas vidas.
Qualquer ser humano já vivenciou o temor do desamparo ou a ameaçadora sensação da perda de proteção diante da morte ou ausência de seus afetos. Se vamos conseguir sobreviver a uma sociedade mais do que agressiva e competitiva, ou se ainda, nos darão alguma posição para podermos sobreviver, fazem parte dos nossos mais profundos temores e pesadelos. A questão é que o carente vivencia tais medos na parte emocional e racional, e o que é pior, quase que diariamente. Não é apenas uma questão de insegurança crônica; sendo que se abre uma espécie de abismo para outros sentimentos paralelos que irão habitar o inconsciente da pessoa: ciúmes, inveja, medo e principalmente a ansiedade.
Então, se você crê que sua vida é oca sem determinada pessoa , não consegue se imaginar sozinha, existe em função do outro, se precisa de alguém pra ser feliz, isso não é amor é carência.
Faça uma análise da sua relação de hoje.

Tenho medo de ficar sozinho?

Sufoco as pessoas do meu ciclo social?

Tenho expectativas nessa relação e são realizáveis?

Será que idealizei de uma forma irreal?

Eu que quero viver intimamente com alguém tão diferente do que eu acredito e espero?

Mesmo se ainda se sente confuso, tente avaliar a presença e a ausência do outro na sua vida, analise seus sentimentos. Algumas perguntas acima citadas são passageiras ou descreve seu relacionamento.
Como posso fortalecer afastar a carência?
Autoconhecimento: Consciência representa 50% do trabalho constitui você se enxergar sem nenhum tipo de julgamento, nenhuma crítica, sem autodefesas ou justificativas, com total honestidade.
Saiba reconhecer seus erros: É importante saber reconhecer, ter autorresposabilidade.
Aposte no que você tem de melhor: temos uma tendência enorme em colocar foco apenas no que temos de ruim.
Peça ajuda, faça terapia , ela serve para direcionar o caminho que você precisa trilhar para conseguir olhar novamente para sua melhor parte.


"A atenção é um alimento. Tudo que recebe atenção cresce". (Osho)





Até a próxima.
Ana Gonçalo.
Contatos para consultas: (81) 993570145,
pelo e-mail anacgcp@gmail.com
Siga no instagram : @psicanalista_anafreud

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Emprego & Concurso

[emprego][bsummary]

Mundo

[Mundo][bsummary]

TV Fala News